Consciência Política e Participação dos Representantes da Sociedade Civil no Conselho Municipal de Assistência Social de Vitória (ES)

Nome: Arthur Gomes Dau
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 02/05/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Márcia Prezotti Palassi Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Reis Rosa Examinador Interno
Alfredo Rodrigues Leite da Silva Examinador Interno
Márcia Prezotti Palassi Orientador
Virgílio Cézar da Silva Oliveira Examinador Externo

Resumo: Os conselhos gestores, instituições participativos incluídas no arcabouço jurídico do Estado Brasileiro pela Constituição Federal de 1988, tornaram-se o principal instrumento de alinhamento entre interesses diretos da sociedade civil e do poder público. Criaram-se, assim, novas relações de gestão compartilhada entre sociedade e Estado, que requerem a consolidação de atores sociais que estejam dispostos a trabalhar em prol da democracia deliberativa. Partindo dessas considerações busca- se, neste trabalho, compreender como se configura a consciência política e a participação dos conselheiros titulares e suplentes representantes da sociedade civil no Conselho Municipal de Assistência Social de Vitória (ES). A discussão se baseia no modelo de consciência política para compreensão da participação em ações coletivas de Sandoval (2001). Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujos dados foram obtidos por meio da análise de documentos, observação não participante às plenárias e entrevistas semiestruturadas com 8 conselheiros titulares e suplentes representantes da sociedade civil do Conselho, submetidos à análise de conteúdo (BARDIN, 2004). Os resultados revelaram configurações diferentes de consciência política entre os três segmentos representativos da sociedade civil no conselho: representantes dos usuários demonstraram-se mais propensos a sentimentos envolvendo a Identidade Coletiva, Eficácia Política e sentimentos de Justiça e Injustiça. Representantes de entidades mostraram-se mais ligados a sentimentos de Identidade Coletiva, Interesses Antagônicos e Adversários e Eficácia Política. Representantes dos trabalhadores da área demonstraram sentimentos ligados a Eficácia Política e Sentimentos de Justiça e Injustiça. Conclui-se que diferentes consciências políticas interferem na participação dos representantes: representantes de trabalhadores participam de maneira limitada às plenárias, comissões temáticas e em ONGs. Representantes de usuários participam de maneira mais abrangente em movimentos sociais, associações de bairros e junto à administração pública, cobrando ações de interesse social. E representantes de entidades participam de movimentos sociais, de ações junto ao poder público e em movimentos que envolvem os assistidos pelas entidades.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910