Interesses de Estudo do Corpo Docente e Linhas de Pesquisa

Abaixo apresentamos o corpo docente permanente do PPGADM, com a indicação das linhas de pesquisa na qual atuam no programa e seus interesses de estudo.

 

 

 

LINHA DE PESQUISA: Práticas Organizacionais e Culturais

 

Professor: Alexandre Reis Rosa

Desenvolve pesquisas em três eixos temáticos: (1) Fronteiras entre a gestão pública e os estudos organizacionais, com especial interesse nas organizações da sociedade civil (ONGs, movimentos sociais e comunidades) e suas interações com o Estado e o Mercado. O eixo busca compreender os espaços organizacionais híbridos que emergem destas interações, bem como suas práticas de gestão e organização. Neste contexto se inserem práticas de gestão do poder local, da educação pública, das organizações populares ligadas ao campo da cultura e de grupos comunitários ligados ao investimentos social privado e ao desenvolvimento local. (2) Processos de reorganização da sociedade por meio da inovação social e de metodologias participativas de gestão que promovam novas possibilidades de resolver problemas comunitários. Este eixo explora a gestão de projetos e da criatividade aplicada aos empreendimentos sociais e culturais. (3) Reflexão teórica sobre as sociedades pós-coloniais e seus desdobramentos para o estudo das organizações contemporâneas. O eixo explora as múltiplas possibilidades de (re)(des)construção das identidades coletivas e dos espaços de sociabilidade dos grupos subalternos.

 

Professor: Alfredo Rodrigues Leite da Silva

Estuda Simbolismos, Práticas Cotidianas e Organizações, tendo como objetivo: ampliar o conhecimento sobre as relações entre as práticas cotidianas, as manifestações simbólicas e a dinâmica do organizar. São abordados vários aspectos do contexto organizacional, tais como: cotidiano; simbolismos; relações de poder; estratégia como prática; e a prática social no organizar. Seus projetos de pesquisa atuais focam as temáticas do artesanato e do turismo. O sentido de organização adotado não se volta para as organizações formais, como algo já construído, mas para a dinâmica do organizar, em construção. São estudados pequenos grupos de artesãos, feiras populares, organizações relacionadas com o turismo, entre outros. Os fenômenos organizacionais são analisados na ótica dos seus envolvimentos com as práticas cotidianas. Um cotidiano no qual se manifestam simbolismos, relações de poder e práticas. Assume-se que em torno dessas manifestações se estabelecem relações organizacionais a serem investigadas. Do ponto de vista metodológico, adota técnicas qualitativas de coleta e análise dos dados, tais como: entrevistas; observação; fotografia; grupo focal; análise do conteúdo; análise do discurso; etnografia. Do ponto de vista teórico se baseia em contribuições de autores que permitam articular a dinâmica social e do organizar como algo em constante (des)construção em torno das práticas.

 

Professor: Annor da Silva Junior

Dedica-se ao estudo dos seguintes temas: (1) organizações familiares; (2) educação superior, instituições de educação superior e gestão universitária; (3) comportamento organizacional ao articular assuntos como qualidade de vida no trabalho, clima organizacional e clima psicológico, cultura organizacional, atuação gerencial, liderança, remuneração, poder e motivação, entre outros; (4) saúde e segurança no trabalho; (5) ergonomia e informalidade (estudo do trabalho informal ou de atividade ainda não-regulamentada); (6) responsabilidade social; (7) gestão do conhecimento; (8) estratégia organizacional na abordagem processual; e, (9) governança corporativa.

 

Professor: César Tureta

Possui interesse de pesquisa nos seguintes temas: 1) teoria ator-rede; 2) estratégia como prática social; 3) indústrias criativas. A principal orientação que atravessa esses temas está fundamentada na noção de práticas organizativas, ou seja, busca o entendimento de como as organizações acontecem, assumindo-as como um processo em constante estado de (re)constituição. Em termos metodológicos, adota métodos de pesquisa qualitativa, principalmente de inspiração etnográfica.

 

Professor: Gelson Silva Junquilho

Congrega ensino, pesquisa e extensão na área de Estudos Organizacionais, tendo como lócus a Gestão Pública, tomada aqui como espaço complexo e privilegiado da ação humana, consumada por meio de práticas sociais re/produtoras de significações culturais simbólicas. O fazer dos sujeitos é dado pelo dinamismo intrínseco ao próprio ato de viver e experimentar diários, que carregam consigo uma permanente inter-relação de redes de sujeitos e de seus saberes e valores em ação, isto é, um conjunto de práticas sociais. A ideia da gestão como prática social é a base norteadora para sua produção acadêmica. Privilegia-se uma proposta teórico-metodológica de cunho interpretativista, com reflexos em estudos de natureza qualitativa. Elege como de interesse para estudos e pesquisas os seguintes temas: Ação gerencial na administração pública: seus significados simbólicos; Cultura e poder nas organizações públicas; Estratégias e práticas sociais na gestão pública; Dinâmicas simbólicas e gestão em organizações-cidades; Práticas sociais de gestão na educação pública.

 

Professora: Letícia Dias Fantinel

Interesse de pesquisa dirigido a análises interpretativas do contexto organizacional, com o olhar voltado à cultura e ao simbolismo nas organizações. Tais estudos visam à compreensão de dimensões que, muitas vezes, escapam ao planejado pelo gestor, e têm por objetivo contribuir para o desenvolvimento de um fundamental conhecimento sobre aspectos envolvidos na construção de práticas, significados e representações, dentro e fora do espaço organizacional. Alguns dos principais temas estudados são: sociabilidades organizacionais e interações; espaço e tempo nas organizações; produção de significados; representações sociais.

 

 

 

LINHA DE PESQUISA: Estratégia, inovação e desempenho organizacional

 

Professor: Anderson Soncini Pelissari

Dedica-se ao estudo dos seguintes temas: (1) Marketing; (2) Estratégia de Marketing e de Negócios; (3) Marketing de Serviços; (4) Marketing de Relacionamento; (5) Decisões Estratégicas de Marcas; (6) Posicionamento Competitivo; (7) Gestão da Qualidade de Serviços; (8) Modelos de Decisão Estratégica para preços, produtos, propaganda, promoção, força de vendas e distribuição.

 

Professor: Hélio Zanquetto Filho

Tem interesse nos estudos dentro dos seguintes temas: (1) redes de cooperação/aglomerados interorganizacionais (industriais/ serviço / comerciais); (2) gestão da cadeia de suprimentos; (3) gestão de fornecedores; (4)operações industriais / serviços; (5) logística; (6) sistemas de gestão da qualidade; (7) estratégia de operações/produção; (8) modelos de previsão de demanda; (9) gestão de materiais. Os estudos são desenvolvidos dentro da abordagem positivista, preferencialmente com uso de métodos quantitativos e modelagens nomotéticas, podendo ser complementadas com outros métodos.

Professora: Inayara Valéria Defreitas Pedroso Gonzalez
Interesse de pesquisa direcionado para estudos em Gestão da Inovação e Estratégias Competitivas, no vasto campo multidisciplinar dos sistemas gerenciais. Estuda os processos ligados à organização, implementação, avaliação e monitoramento das ideias criativas para o surgimento da inovação em processos, produtos, serviços, marketing e organizacional, além dos processos relacionados com a formação de parcerias estratégicas para a inovação. Visa realizar pesquisas buscando compreender o processo gerencial na conquista da integração para o alcance dos resultados, na formação da cultura para a inovação, e na formação das estratégias competitivas e das estratégias de inovação.

Professora: Lucilaine Maria Pascuci

Seus principais focos de pesquisa e de atuação profissional compreendem: 1) gestão estratégica em contextos complexos e pluralistas  (tais como gestão hospitalar, gestão universitária, gestão pública, do terceiro setor e organizações informais, gestão do inesperado (desastres), entre outros); e 2) o desenvolvimento (formulação e implementação) de políticas públicas sob a ótica de sistemas complexos. Tais interesses se fundamentam na importância de melhor compreender, assim como, alcançar resultados mais efetivos ngestão de ambientes fortemente influenciados por aspectos tais como: não linearidade, imprevisibilidade, autonomia dos agentes, poder compartilhado, e pelo significativo papel das redes de interações e do aprendizado na evolução do sistema. Nesse âmbito, seus estudos tem explorado, em especial, práticas gerenciais, managerialism e improvisação.

 

Professor: Marcos Paulo V. de Oliveira

Dedica-se ao estudo dos seguintes temas: (1) gestão de processos de negócio; (2) modelos de maturidade; (3) desempenho em cadeias de suprimentos; (4) gestão de risco em cadeias de suprimentos; (5) canais de marketing e relacionamentos em cadeias de suprimentos; (6) redes de cooperação (joint ventures, associações, etc); (7) estudo dos aglomerados (industriais/ comerciais/serviços); (8) operações industriais/logística e gestão da cadeia de suprimentos; (9) Estratégia como Processo; (10) Estratégia como Prática. Os estudos desta área serão direcionados para o uso de métodos quantitativos e modelagens nomotéticas conjugadas com a técnica Delphi/painéis de especialistas.

 

Professora: Teresa Cristina J. Carneiro

Estudos em Inovação e Tecnologia da Informação: estuda as dimensões tecnológica e organizacional do vasto campo multidisciplinar dos sistemas de informação e das tecnologias de informação e comunicação (TICs). Visa realizar pesquisas buscando compreender o processo de difusão e adoção das novas mídias e a dinâmica das mudanças que ocorrem neste processo, entender as características, as lógicas e as formas de organização das redes sociais mediadas pelas TICs e analisar os impactos das TICs nos processos organizacionais. Desenvolve pesquisas em duas dimensões: na dimensão tecnológica, pesquisas que estudem o fenômeno da inovação tecnológica, sua difusão e adoção; e na dimensão organizacional, pesquisas que analisem os impactos das mudanças organizacionais apoiadas pelas TICs, incluindo mudanças no comportamento do consumidor.

 

 

 

LINHA DE PESQUISA: Organizações e Trabalho

 

Professora: Ana Paula Paes de Paula

Atua em pesquisas que exploram abordagem teóricas como a teoria crítica e a psicanálise privilegiando abordagens metodológicas qualitativas e dialética e incentivando estudos teóricos, empíricos e mediações por meio da pesquisa-ação, em uma tentativa de integração entre a teoria e a prática organizacional. Os principais temas de pesquisa são: Gestão Dialógica, Gestão Colaborativa e Autogestão; Experiências Organizacionais Alternativas, Economia Solidária e Tecnologias Sociais; Movimentos Sociais, Participação Social e Ciberdemocracia; Sujetividade, Psicossociologia e Psicanálise de Grupos e Organizações. 

 

Professor: Eloisio Moulin de Souza

Suas pesquisas são fundamentadas principalmente pelos seguintes autores: Michel Foucault, Margareth Rago, Suely Rolnick, Joan Wallach Scott e Judith Butler, Guaciara Louro e Nardi, dentre outros. Dessa forma, dedica-se a estudar os diversos dispositivos de poder presentes na sociedade contemporânea relacionados com o mundo do trabalho e das organizações, ou seja, as pesquisas desenvolvidas visam analisar as diversas formas e dispositivos que envolvem as relações de poder nas organizações, tendo como conceito fundamental de poder a analítica desenvolvida por Michel Foucault. Dentre esses diversos dispositivos de poder atualmente tem estudado, com maior ênfase, o tema “relações sociais de sexo em espaços laborais , no qual se dedica a analisar as relações de poder relacionadas aos dispositivos do Trabalho e da Sexualidade, bem como outros aspectos relacionados a diversidade em espaços organizacionais, principalmente pesquisas sobre minorias, tais como portadores de necessidades especiais, raça, etnia, condições socioeconômicas, mulheres, homossexuais, dentre outras. Trabalhos que envolvam estudos sobre subjetividade também pertencem ao portfólio de pesquisas desenvolvidas, como por exemplo consumo e subjetividade. Vale ressaltar que está aberto a estudo de outras temáticas que não se restrinjam somente a relações sociais de sexo, diversidade e subjetividade, desde que estejam relacionadas ao estudo de formas e dispositivos de poder nas organizações, como relações de trabalho e poder; Identidade Social e Identificação: compreensão dos fenômenos de identificação, categorização social, discriminação e preconceito. Como forma de análise desses fenômenos utiliza-se pesquisa do tipo qualitativa, fundamentadas na Análise de Discurso desenvolvida por Michel Foucault, bem como no estudo Cartográfico (Cartografia).

 

Professora: Marcia Prezotti Palassi

Visa estudar as experiências de participação na (re)formulação de políticas públicas, dos atores da sociedade civil na democratização dos processos de gestão das cidades e das pessoas nas organizações. Também se dedica à análise das metodologias participativas utilizadas nestes processos e na formação de profissionais. A participação em ações coletivas institucionalizadas ou não, também são pesquisas à que se dedica, por exemplo, participação em protestos, manifestações, boicotes, movimentos sociais, coletivos, etc. Enquadra-se na Divisão de Estudos Organizacionais, pois nesta área a Administração é compreendida como um fenômeno social e laboratório de experiências humanas, justificando a adoção de teorias do campo das ciências humanas. Busca desenvolver um olhar diferenciado sobre a Administração, pautando-se numa abordagem alternativa à gerencialista hegemônica e convencional, considerando as organizações como produtoras de subjetividade, ao invés de vê-las somente como controladoras da subjetividade, perspectiva tradicional nos estudos organizacionais. Para a compreensão dos sentidos subjetivos das políticas e práticas participativas nos setores público, privado e terceiro setor, alicerça-se em referenciais da psicologia social e da psicologia política. Portanto, adota tanto a proposta teórica, epistemológica e metodológica de estudo da subjetividade de Fernando Gonzalez Rey, como o modelo de consciência política para compreensão da participação em ações coletivas de Salvador Sandoval, dentre outros aportes teóricos e metodológicos pertinentes aos estudos desenvolvidos.

 

Professora: Mônica de Fatima Bianco

Tendo como pano de fundo a reestruturação produtiva e a mudança organizacional, propõe-se a estudar o Trabalho, levando em conta o contexto/ ambiente em que as ‘situações de trabalho’ estão inseridas. Tem-se como pressuposto a ideia do sujeito trabalhador produzir a si próprio continuamente, num processo continuo de produção de subjetividades no contexto da interação social a que estamos submetidos dia-a-dia nas diferentes realidades sócio-organizacionais. O olhar é sobre o trabalho humano, individual ou em grupo, sob a perspectiva da transdisciplinaridade, dada a complexidade que o estudo do trabalho exige. Pode-se dizer que os trabalhadores produzem seus modos de ser, a partir de suas vivências no trabalho e das relações que ali se constituem. E, que estes modos de ser são dinâmicos e se estabelecem nas relações promovidas pelas tecnologias de gestão empregadas e modificadas pelos gestores organizacionais; o que estabelece novas relações de pessoas para com as pessoas e para com os sistemas de trabalho. Devemos levar em conta que esses trabalhadores também são gestores do seu trabalho, eles defendem a gestão qualitativa do seu tempo de trabalho. Isso nos leva ao conceito de Normas Antecedentes, são aquelas prescritas pelos gestores e também (re)normalizadas pelo coletivo de trabalhadores a medida que estes reinventam modos de fazer que são apreendidos e reproduzidos pelos pares ao longo das trajetórias de vida no ambiente do trabalho, organizacional. Estar vivo é reinventar. Desse modo, a racionalidade econômica busca regular e neutralizar o irredutível da atividade humana, em nossa opinião. Há então a singularidade apreendida por parte dos sujeitos. Estes sujeitos envolvidos com a sua atividade de trabalho é, muitas vezes, o agente da transformação do trabalho, gerindo o seu trabalho centrado na atividade e interpretando as normas que o subsidiam. Esta gestão, que em modelo anteriores, pautados no taylorismo/ fordismo eram vistas como desnecessárias passam a ser valorizadas pelas novas tecnologias de gestão (voltadas para qualidade, desempenho, competências, etc.). Trabalho, “a atividade mais humana que existe” (ROLLE apud CLOT, 2006, p. 69), uma atividade orientada e regulada por terceiros, pelos que planejam e prescrevem, de modo a conceber os recursos necessários ao trabalho numa perspectiva determinista dos processos de trabalho, como se o trabalho real fosse previsível. Este quando estudado e compreendido pode ser visto como transformador, por meio dos usos de si por si e pelos outros. Método: Para dar conta disso, Pesquisa Qualitativa. Muita “observação” com base na aproximação entre sujeito e objeto de pesquisa, a co-transformação com a reconstrução constante e esperada do problema (ou pergunta). Quando a base teórica se aproxima da Ergologia, postura mais cartográfica. Quando se distancia e se aproxima das Relações de Trabalho e do Modelo da Competência, da Gestão dos Saberes, postura mais de observação, mais fenomenológica. Tem sido instrumental rico a construção de diários de campo e entrevista em profundidade. Às vezes nos aproximamos da etnometodologia: como foi o uso da análise de conversas numa pesquisa realizada. Não temos restrições instrumentais para tratar os dados, ou seja, podemos usar ferramentas numéricas para enumerar freqüências, etc, mas o foco da análise não é quantitativo. As pesquisas são descritivas buscando a compreensão da complexidade do contexto em que se inserem os processos de trabalho e o que este representa para os seres vivos. Tornando-se, muitas vezes, explicativa, à medida que consegue correlacionar e estudar suficientemente os fatores intervenientes neste co-engendramento pesquisador-pesquisados-ambiente de pesquisa.

 

Professora: Priscilla de O. M. da Silva

Atua em pesquisas sobre Gestão do Trabalho e Relações de Trabalho abrangendo 4 eixos temáticos: 1) simbolismo, identidade e cultura. 2) Trabalho, comprometimento e vínculos, 3) Trabalho e vida cotidiana, 4) Trabalho e a relação saúde-doença e qualidade de vida. O foco de pesquisa é a relação do indivíduo com o trabalho e as demais instâncias de sua vida.

 

Professor: Rubens de Araújo Amaro
Tem interesse em estudar os seguintes temas: (1) Aprendizagem em organizações, envolvendo os níveis individual, coletivo, organizacional; (2) Desenvolvimento de competências de profissionais de diferentes áreas; (3) Processos formativos que privilegiem a interseção entre instituições de ensino e o mundo do trabalho; (4) Ensino e pesquisa em Administração; (5) Empreendedorismo em suas diferentes manifestações. Assume o pressuposto de que a realidade é construída e, portanto, organizações e indivíduos estão em constante processo de (re)construção. Privilegia estudos de natureza qualitativa.

 

Professora: Susane Petinelli Souza

Os estudos estão voltados para alguns temas como: (1) Formação e ensino de Administração; (2) Trabalho, (3) Teoria Organizacional e (4) Metodologias Qualitativas de Pesquisa em Administração. Todos os temas estudados são influenciados por 3 (três) eixos analítico teóricos, quais sejam: a) poderes; b) saberes e c) produção de subjetividades. Os estudos buscam discutir a analisar as relações de poder que regulam práticas, a formação e propagação de determinados saberes considerados verdades e a produção de subjetividades envolvida nesses processos.

 

 

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910